Comentários das Liturgias

SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR

SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR
At 1,1-11 / Sl 46 / Ef 1,17-23 / Lc 24,46-53

ascensaoJesusA solenidade da Ascensão do Senhor é a celebração do retorno de Jesus à Sua glória. Depois de ter cumprido a missão de conceder a salvação à humanidade, em sua morte e ressurreição, Jesus sobe aos céus e senta-se a direita do Pai, como nos ensina São Paulo na carta aos Efésios. Estar à direita de Deus significa que Jesus compartilha da glória e do esplendor do Pai, na comunhão eterna da Santíssima Trindade.


A ascensão do Senhor reflete a espiritualidade pascal na qual celebramos Cristo Vivo e Vencedor, pois é uma manifestação da vitória de Cristo, que supera todas as limitações humanas e reassume sua condição divina. São Paulo nos diz que Jesus em sua glória está acima de toda autoridade, todo poder e soberania, neste mundo e no mundo futuro. Com isso nos ensina que a humildade revelada no mistério da encarnação, quando Jesus abandonou sua condição divina para se assumir nossa condição de criaturas, não diminuiu sua majestade divina. Pelo contrário, seu gesto de kénosis, de abaixamento, o tornou ainda mais sublime, pois permitiu que Ele manifestasse ao mundo a plenitude de Seu amor.


Sua ausência material no meio do mundo não significa Sua ausência espiritual. Jesus continua atuante na Igreja, como Sua cabeça. Enquanto Igreja somos Seu corpo, e especialmente, somos Suas mãos e Seus pés, que permitem a presença e a ação de Deus em todos os lugares; mas quem permanece como cabeça da Igreja é Cristo. A Igreja é guiada por Cristo como o corpo é orientado pela cabeça. E a força vital, que sustenta o Corpo Místico de Cristo é o Espírito Santo, a força do alto que nos reveste e nos ampara na missão de testemunhar e edificar o Reino de Deus.


Em sua ascensão, Jesus alcança o ápice de sua missão e assinala o início da missão da Igreja, Seu Corpo Místico, ao dizer aos discípulos que devem ser testemunhas de tudo o que Ele fez e ensinou, e acima de tudo, de Sua vitória sobre o pecado e a morte, em Sua gloriosa ressurreição. Como membros do Corpo Místico de Cristo, não podemos ficar de braços cruzados, olhando para o alto, esperando que do céu desça tudo o que necessitamos para que o Reino de Deus aconteça. O mesmo Cristo que subiu aos céus, voltará. E cabe a nós preparar a volta de Cristo, sua vinda gloriosa, transformando o mundo com o nosso anúncio e com o nosso testemunho cristão.


A ascensão do Senhor é a festa da vitória de Cristo e a celebração da responsabilidade cristã. Cada batizado é responsável pela missão que Jesus realizou em Sua vida terrena e que agora Ele confia a nós, Sua Igreja. No seguimento a Jesus, responsável é aquele que assume a fé com confiança, dando testemunho daquilo que acredita, com suas palavras e com suas atitudes. Ser responsável é tomar sobre si mesmo a missão que Jesus confiou a Sua Igreja, não como um adereço que pode ser descartado, ou como uma roupa que pode ser despida quando for conveniente, mas como parte da própria identidade pessoal, como a impressão digital que não pode ser retirada. Quando a missão confiada a nós pelo Senhor se torna parte de nossa existência, testemunhar os ensinamentos e a ação salvífica de Jesus não é uma tarefa que nos pesa ou que podemos ignorar, mas uma necessidade interior que nos faz cada vez mais realizados e felizes.

Liturgias Anteriores

Previous Next
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8