Comentários das Liturgias

FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA, JESUS, MARIA E JOSÉ

FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA, JESUS, MARIA E JOSÉ
Eclo 3,3-7.14-17a / Sl 127 / Cl 3,12-21 / Mt 2,13-15.19-23

SagradaFamilia1A espiritualidade do Tempo do Natal nos convida a contemplar a Sagrada Família de Nazaré, reconhecendo o valor fundamental que a família possui no plano de Deus e encontrando nela a inspiração para a vida das nossas famílias hoje. Jesus, ao se encarnar, assumiu a nossa existência humana em todas as dimensões e por isso, também necessitou de uma família que lhe oferecesse amparo humano para o seu crescimento. Vivendo em uma família, Jesus santificou todas as famílias, confirmando a importância que família tem no projeto de Deus para a humanidade. Mais do que uma escolha do homem e da mulher que se unem por amor, mais do que uma mera instituição humana, a família foi desejada por Deus, para que nela cada pessoa pudesse ter sua humanidade plenificada.


A Sagrada Escritura testemunha a importância da família, enquanto ambiente de amor favorável ao desenvolvimento humano, com a missão de transmitir os valores fundamentais para a vida em comum. Tanto o livro do Eclesiástico quanto a Carta aos Colossenses orientam as famílias para que sejam tementes a Deus e alicercem seus lares na vivência do amor. No livro do Eclesiástico encontramos uma meditação sobre o quarto mandamento, ensinando que honrar pai e mãe significa que o filho deve ter atitudes de respeito e cuidado, especialmente quando os pais revelam sinais de fragilidade. A carta aos Colossenses destaca a vida harmoniosa da família, unida pelos laços do amor. Essa harmonia familiar depende do bom desempenho de cada membro no papel que lhe é devido; esposo e esposa devem viver o amor mútuo, os filhos devem respeitar os pais, e também os pais devem exercer com solicitude seu papel de educadores, para que seus filhos cresçam no caminho de Deus. Esse ideal de família, nós vemos se realizar plenamente na Sagrada Família de Nazaré.


São Mateus apresenta a Sagrada Família como aquela que é sempre guiada pela Palavra de Deus. Em todos os momentos difíceis, em cada tomada de decisão, é o Senhor quem fala e orienta. A palavra final é dada por Deus, que os encaminha para o Egito, chama-os de volta e depois orienta-os para fixar sua residência em Nazaré. Assim deve ser a vida espiritual das nossas famílias, pois hoje também enfrentamos dificuldades materiais, e também afetivas. Mas, no meio das aflições, é a Palavra de Deus quem deve orientar nossas decisões e guiar nossos passos. Somente uma espiritualidade sólida pode dar sustento à vida familiar.


Nossas famílias hoje estão envolvidas pelos meios de comunicação que, continuamente, invadem nossos lares com tendências culturais, influenciando os comportamentos. Infelizmente, muitas famílias deixam-se conduzir sem discernir à luz da Palavra de Deus as propostas que recebem. O resultado é o abandono de valores fundamentais que a família deve oferecer para a formação humana. Pessoas que não tem sua personalidade edificada de forma saudável na família, não conseguem viver de forma equilibrada em sociedade, pois não foram educadas para o amor, o qual é a base fundamental para a preservação do bem comum, sem o qual a sociedade não se sustenta harmoniosamente.


As famílias de hoje devem, como a Sagrada Família, deixar que Deus oriente suas decisões, para que não abandonem Seu caminho. Trilhando o caminho do Senhor, como nos pede o Salmo 127, a família poderá viver unida nos laços do amor e favorecer o desenvolvimento humano de seus membros, preparando-os para viver de maneira harmoniosa e saudável na comunidade cristã e em sociedade.

Liturgias Anteriores

Previous Next
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8